Lisboa saloia

The agricultural area north of Lisboa is known as região saloia, a term that nowadays in commonly used to refer people in rural areas, but that has a very particular origin – çalayo was the moorish word for the tribute in bread that was exacted from the conquered Arabic population of the capital’s region, to be allowed to keep tilling their lands.

An old buddy of mine put together a barbecue to celebrate his newly acquired house in the hills of Arruda dos Vinhos, deep in the região saloia, an area rich in wine and other produce. He gathered people from five different countries at his table, all speaking with different shades of Portuguese accent. The smoky smell of the burning embers, the coolness of the breeze and the sounds of children playing outside led a peaceful afternoon into a glorious countryside sunset behind the valley. That was when the green and ochre across the landscape were tinted with shades of indigo and sienna, calling the day to an end.

A zona agrícola a norte de Lisboa é conhecida como região saloia, um termo que, hoje em dia é usado geralmente para designar pessoas de áreas rurais, mas que tem uma origem particular – çalayo era a palavra mourisca para o tributo pago em pão que era imposto às populações Árabes da região da capital, para que lhes fosse permitido continuar a arar as suas terras.

Um velho amigo organizou um churrasco para celebrar a sua nova casa nas colinas da Arruda dos Vinhos, na região saloia profunda, uma zona rica em vinho e outros produtos agrícolas. Juntaram-se à sua mesa pessoas de cinco países diferentes, todos a falar diferentes tons e sotaques de Português. O cheiro das brasas, a frescura da brisa e os sons da miudagem a brincar no exterior levou a tarde sossegada até um por-do-sol glorioso atrás do vale campestre. Foi nessa altura que o verde e ocre passaram a indigo e terra-de-siena anunciando o fim do dia.

Glicínias Plaza architecture illustration

Glicínias Plaza, a shopping mall in the city of Aveiro, is to be expanded and remodeled by Broadway Malyan. Vida Imobiliária heads the story with one of my illustrations.

O Glicínias Plaza, um centro comercial em Aveiro, irá ser ampliado e requalificado pela Broadway Malyan. A Vida Imobiliária arranca o artigo com uma das minhas ilustrações.

Sketch fast or dry trying

At the beaches of Lagos, in southwestern Portugal, the free semi-naked models and sketchable natural landscapes abound. But the scorching sun dries up watercolors and burns backs like a beast, so either take a really fast approach on your sketching and color blending, or take an umbrella.

Nas praias de Lagos, os modelos semi-nus gratuitos e as paisagens naturais desenháveis abundam. Mas o sol escaldante seca aguarelas e queima costas à bruta. Portanto, ou se leva uma atitude rápida e descontraida para os desenhos, ou se leva um guarda-sol.

Mortágua architecture illustration

Mortágua Municipality had two illustrations commissioned to let its citizens know the ongoing plans for the urban refurbishment of Alameda da Igreja Matriz e Avenida Dr. Assis e Santos public space – a design by Lisboa-based Aresta Arquitectos. This commission was done in partnership with Pedro Alves.

A Câmara Municipal de Mortágua encomendou duas ilustrações para comunicar aos seus cidadãos os planos para a requalificação da Alameda da Igreja Matriz e Avenida Dr. Assis e Santos – um projecto do gabinete Aresta Arquitectos de Lisboa. Esta encomenda foi feita em parceria com Pedro Alves

10×10 Lisbon: Local markets = great professions

For my third class as instructor in the Urban Sketchers 10 Years x 10 Classes programme in Lisboa, we went to Campo de Ourique market, a small and cozy building, in an uptown district, that underwent a deep renovation a few years ago, and is now a posh destination to eat and drink in the city.

Na minha terceira experiência como instrutor do curso 10 Years x 10 Classes dos Urban Sketchers em Lisboa, fomos ao mercado de Campo de Ourique, um edifício pequeno e aconchegado que foi algo de uma renovação, há alguns anos, e é agora um destino elegante para beber e comer na cidade.

The traffic was unusually chaotic, and I arrived late in the location. So the first warm up exercise was assigned as homework. In the first part of the challenge – “get up stand up, stand up for your crowd” – we were to sketch a crowd in 15 minutes while standing, by hanging people by the head from an imaginary tight rope that we’d call horizon. This technique guarantees that the scene is coherent and every person that we sketch falls into place naturally. The second part of the exercise – “everybody in the house get down” – was to do the same thing while sitting or crouching. This time, people should be hung by the waistline, guaranteeing the same results as before.

O trânsito estava anormalmente caótico e acabei por chegar tarde ao local. Assim, o primeiro exercício passou a trabalho de casa. Na primeira parte do desafio, deveriamos desenhar, de pé, uma multidão em 15 minutos, pendurando pessoas pela cabeça de uma corda imaginária que chamariamos de horizonte. Esta técnica garante que a cena resulta coerente e que todas as pessoas desenhadas encaixam naturalmente. Na segunda parte do exercício, deveriamos proceder da mesma forma, mas sentados ou de cócoras. Desta forma, as pessoas estariam penduradas da corda pela cintura, para garantir os mesmos resultados do desafio anterior.

We jumped directly to the second exercise, which put everyone in contact with a single local profession. Participants had to choose one of the many available professions on site – a trader, a security guard, a hauler – and, in a single spread, separately sketch the head of the professional, his/her hands, the product/service, the hands of the receiver/customer and his/her head. This would focus all sketching attention on the main elements of a trade or a transaction. Head-expression, hands-action and product/service provided as the element that brings those people together.

Com a falta de tempo, saltámos directamente para o segundo exercício, que pôs todos em contacto com uma única profissão. Os participantes tiveram de escolher uma das muitas profissões no local – um comerciante, um segurança, um carregador – e, numa dupla página, desenhar separadamente a cabeça do profissional, a sua cabeça, as suas mãos, o produto/serviço, as mãos da/o receptor/cliente e a sua cabeça. Este formato faria com que toda a energia dos desenhadores ficasse focada nos elementos principais de uma transacção. A cabeça-expressão, as mãos-acção e o produto/serviço prestado como o elemento que junta as pessoas.

Besides the traditional fishmongers and grocers you usually find in local markets, a big feature of this one is the food kiosks and dining area. This was the stage for the third exercise – participants had to follow a meal from its origin to its disposal, focusing on the people that cook it, season it, serve it, purchase it, eat it, and, of course, the people that clean after it. Placement on the spread didn’t matter, as long as you could trace the route of the food across all the people involved. Some really interesting layouts came out of this challenge, as breaking down a story in acts or moments allows for simplification in sketching technique and prompts innovation in the composition.

Para além das tradicionais peixarias e frutarias que, normalmente se encontram num mercado local, uma das grandes atracções é a área de comida e bebida. Foi o palco do terceiro exercício – os participantes tiveram de seguir uma refeição desde a sua origem até à arrumaçaõ da louça, com enfoque nas pessoas que a cozinham, a temperam, a servem, a compram, a comem e, claro, as que vêm arrumar tudo no final. A colocação na dupla página não era importante, desde que se conseguisse seguir o caminho da comida através dos seus intervenientes. Deste desafio resultaram algumas composições muito interessantes, já que, partir uma história em vários actos ou momentos permite a simplificação da técnica de representação e provoca inovação na composição.