Bacalhau / Baccalà

Genoa-Lisboa Sketch Connection

March: Baccalà / Março: Bacalhau


This is the third of a series of 12 sketchers that Valentina Raiola and I will post throughout the year 2020, recording the similarities between our two cities.

This is one of the thousand ways Portuguese have of cooking cod fish, and happens to be my favorite. Gather the ingredients: cod fish, potato, chickpeas, carrots, egg and a choice of your preferred greens (broccoli). Boil everything and serve soaked in olive oil and vinegar. Garlic optional. Simple, effective and tasty!

Cod fish is not native from around here. It’s usually fished from the North Atlantic, so the fish has to be salted on the boats to preserve. When it gets to the shops in Lisboa, it’s hard, dry and heavily salted, so dipping in water is necessary overnight.

Este é o terceiro de uma série de 12 desenhos que a Valentina Raiola e eu iremos publicar durante o ano de 2020, registando as semelhanças entre as nossas duas cidades.

Esta é uma das mil formas que os Portugueses têm de cozinhar bacalhau, e é a minha favorita. Juntem os ingredientes: bacalhau, batata, grão, cenouras, ovo e uma escolha dos vossos verdes preferidos (brócolos). Cozam tudo e sirvam, bem regado em azeite e vinagre. fatias de alho opcionais. Simples, eficaz e saboroso!

O bacalhau não é nativo daqui. Normalmente é pescado no Atlântico Norte, portanto tem de ser salgado nos barcos para conservar. Quando chega às lojas em Lisboa, está duro, seco e fortemente salgado. Torna-se necessário demolhá-lo durante a noite.

10×10 Al-Andalusk 2020

I’m very honored and happy to be part of the excellent roster of instructors in the Al-Andalusk 10×10 workshop programme, in September, alongside Inma SerranoCélia BurgosGabriel de la Riva PérezNelson Paciência and Vicente Sardinha! It’s going to be an intense but fulfilling weekend of sketching in sunny Sevilla. Find out more in Al-Andalusk facebook page to find out more, or send an email to alandalusk18@gmail.com. Venga!

Estou muito honrado e feliz de fazer parte do excelente plantel de formadores no programa de oficinas 10×10 dos Al-Andalusk, em Setembro, ao lado de Inma SerranoCélia BurgosGabriel de la Riva PérezNelson Paciência e Vicente Sardinha! Vai ser um fim de semana de desenho intenso mas recompensador, na solarenga Sevilha. Visitem a página facebook dos Al-Andalusk para descobrir mais, ou enviem um email para alandalusk18@gmail.com. Venga!

Waterfront

Genoa-Lisboa Sketch Connection

February: Waterfront / Fevereiro: Beira-mar


This is the second of a series of 12 sketchers that Valentina Raiola and I will post throughout the year 2020, recording the similarities between our two cities.

The waterfront of Lisboa, on the Tejo river, is 17km long, but for many years, most of it was only partially accessible and difficult to get to. Between shipping containers, port equipment and the railway line along the shore towards the ocean, just a few spots were available to promenade. Nowadays, the city is improving its relationship with the river, and giving the waterfront back to its citizens. One place that was always accessible, despite varying in importance, is the Cais das Colunas. Statespeople used it as a noble entrance into the city. Merchants would buy goods fresh from the overseas trading here, before anywhere else. Revolutions held their stand in the nearby Praça do Comércio, and governments established their headquarters in the surrounding colonnaded buildings.

Nowadays it’s the favorite selfie spot for tourists. Still it feels good to be this close to the water.

Este é o segundo de uma série de 12 desenhos que a Valentina Raiola e eu iremos publicar durante o ano de 2020, registando as semelhanças entre as nossas duas cidades.

A frente ribeirinha de Lisboa, sobre o Tejo, tem 17km de comprimento, mas durante muitos anos, a maior parte estava apenas parcialmente acessível ao público e era difícil de lá chegar. Entre contentores, equipamento portuário e a linha de comboio marginal, apenas alguns pontos estavam disponíveis para passear. Hoje em dia, a cidade está a melhorar a sua relaçaõ com o rio, devolvendo a frente ribeirinha aos cidadãos. Um lugar que sempre esteve acessível, apesar da importância variável, é o Cais das Colunas. Governantes usaram-no como entrada nobre da cidade. Comerciantes compravam mercadorias frescas das rotas comerciais marítimas, aqui antes de em qualquer outro lugar. Revoluções resistiram na Praça do Comércio próxima, e governos estabeleceram os seus quartéis-generais nas arcadas vizinhas.

Hoje em dia, o Cais das Colunas é o selfie spot favorito para os turistas. Ainda assim, sabe bem estar próximo da água.

Narrow streets

Genoa-Lisboa Sketch Connection

January: Narrow streets / Janeiro: Ruas estreitas


This is the first of a series of 12 sketchers that Valentina Raiola and I will post throughout the year 2020, recording the similarities between our two cities.

Have you ever lived in an apartment where you could handshake your neighbor from the building across the street? Or even collect their hanging clothes? Narrow streets are a feature of the old parts of both Genova and Lisboa, sometimes even coupled with stairs. In Lisboa, the narrowest alleys can be find the old districts of Castelo, Alfama and Mouraria. The latter, on the northern slope of the castle hill, was the least desirable location, and was left to the conquered moors that could not, or chose not to leave the city, many centuries ago. The geography and heritage of Mouraria is part of the character of the area now.

Este é o primeiro de uma série de 12 desenhos que a Valentina Raiola e eu iremos publicar durante o ano de 2020, registando as semelhanças entre as nossas duas cidades.

Já viveram num apartamento onde podiam apertar a mão ao vosso vizinho do prédio da frente? Ou mesmo recolher as suas roupas estendidas? Ruas estreitas são uma particularidade da parte velha de Génova e de Lisboa, por vezes até combinadas com escadarias. Em Lisboa, as vielas mais estreitas podem ser encontradas nos antigos bairros do Castelo, Alfama e Mouraria. O último, na vertente norte da colina do castelo, era a localização menos desejável, e era deixada para os mouros conquistados que não puderam, ou não quiseram sair da cidade, há muitos séculos atrás. A geografia e o património da Mouraria é, hoje em dia, grande parte do carácter da zona.

10 years of Urban Sketchers Portugal

Unfortunately, my part in the celebration of the 10 years of the Urban Sketchers Portugal chapter was very short. There was a whole weekend planned out, but work kept me until Sunday morning, when I had the chance to join the sketchbook and brush gang.

Arriving at Terreiro do Paço, I saw dozens of people in the north side of the statue of D. José, and sat down sketching with them. I saw friendly, familiar and unfamiliar faces, old faces and very young faces. I saw Nelson Paciência running around so fast that sometimes he was sitting and sketching, other times he was taking photos with different clothes. I saw later that I had missed half the sketchers who sat on the sunny side of the equestrian statue. I saw the founder, Gabi Campanario. I saw flashbacks from the 2011 Lisbon Symposium, which, at a distance, looked really tiny. I saw these past ten years that changed my life completely, and I saw the main role that the urban sketchers had in that change!

Then, the food came, and I saw nothing else.

Thank you for these 10 years 🙂

Infelizmente, a minha participação na celebração dos 10 anos dos Urban Sketchers Portugal foi muito limitada. Com o sábado a trabalhar, apenas tive a manhã de domingo para me juntar à malta de caderno e pincéis em riste.

À chegada ao Terreiro do Paço, vi dezenas de pessoas no lado norte da estátua do D. José, e sentei-me logo com elas a desenhar. Vi rostos amigos, conhecidos e desconhecidos, rostos mais antigos e rostos muito novos. Vi o Nelson Paciência tão atarefado que ora estava a desenhar sentado no chão, ora estava de pé a fotografar com outra roupa já. Vi mais tarde que me desencontrei de metade dos desenhadores, porque estavam no lado solarengo da estátua equestre. Vi o fundador, Gabi Campanario. Vi flashbacks do Simpósio de 2011 de Lisboa, que à distância, parece uma miniatura. Vi estes dez anos todos, que tanto mudaram a minha vida, e vi o papel principal que os urban sketchers tiveram nessa mudança!

Depois puseram-me comida à frente e não vi mais nada.

Obrigado por estes 10 anos 🙂