Lisbon Tango Festival coverage

 

For the second year in a row, the Lisbon Tango Festival team invited Carlos Teixeira, Mónia Abreu, Luís Frasco and myself to sketch during the event.

When sketching dancing couples, you always find yourself shifting back and forth between pose and movement, precise detailing and loose brushing. Portraying tango dancers requires attention to their sharp halts in movement, the twirls of legs and bodies, the grips of the arms and hands and, to make it even more challenging, to particular emotions expressed in the couple’s faces.
The atmosphere of the Festival varies a lot, from the relaxed afternoon milongas, where the dancers take turns in getting to know each other’s styles and embraces, to the mesmerizing maestro’s shows on the timber stage of the ballroom in Voz do Operário. There’s always a different mood to sketch, and it shows in the results. Some were movement representations, other were faithful portraits, other still were color theory experiments with temperatures, contrasts and harmonies. In any case, tango dancers undoubtedly lend themselves to more sensuous and visceral sketches than other subjects.Pelo segundo ano consecutivo, a organização do Lisbon Tango Festival convidou os desenhadores Carlos Teixeira, Mónia Abreu, Luís Frasco e eu próprio, para desenhar durante o evento.Ao desenhar pares de dançarinos, estamos sempre a oscilar entre pose e movimento, detalhes precisos e pinceladas soltas. Retratar dançarinos de tango requer atenção aos seus sobressaltos de movimento, aos rodopios de pernas e corpos, aos apertos de braços e mãos, e como se não bastasse, a emoções particulares expressas nas faces dos pares.A atmosfera do Festival varia ao longo dos dias, da descontracção das milongas da tarde, onde os dançarinos revezam-se na pista a conhecerem-se nos estilos e abraços, aos hipnóticos espectáculos dos maestros no palco de madeira do salão da Voz do Operário. Há sempre um ambiente diferente para desenhar, e os resultados reflectem essa variação. Alguns são representações de movimento, outros são retratos fieis e minuciosos, outros ainda são experiências de teoria de cor com temperaturas, contrastes e harmonias. Em todo o caso, não há dúvida que os dançarinos de tango prestam-se a desenhos mais sensuais e viscerais que outros temas.

10×10 The Typical Neighbourhood

The Typical Neighbourhood is the 5th summer class in the year-long Urban Sketchers 10×10 Lisbon. NOTICE: It will take place next Thursday, the 28th of June (instead of Wednesday, as initially posted).

The focus of this workshop will be the human interactions in a typical Lisboa neighbourhood. Together with Pedro Alves, a native of Graça, and Pedro Loureiro, a tourist in Graça, we’ll approach the subject with a series of exercises that will prepare us for sketching crowds, moving people and interpersonal stories.

The Typical Neighbourhood will take place in Largo da Graça, Lisboa. We’ll meet opposite to the Fire Station.

Fees:
Single class – 30€ / reduced price* – 15€
Full Program (36 aulas) – 550€ / reduced price* – 450€
Half Program (18 aulas) – 320€ / reduced price* – 220€
Spring Classes (12 aulas) – 250€ / reduced price* – 200€
Summer Classes (12 aulas) – 250€ / reduced price* – 200€
Winter Classes (12 aulas) – 250€ / reduced price* – 200€
Sping, Summer, or Winter half program (6 classes) 150€ / reduced price* – 100€.
* reduced price for students and members of USkP

To register, please contact:
education@urbansketchers.org

Check out the full program here.

The Typical Neighbourhood é a 5ª aula de verão do curso anual de Urban Sketchers 10×10 Lisbon. ATENÇÃO: Irá ser na quinta-feira, dia 28 de Junho (e não na quarta-feira como inicialmente previsto).

O foco desta oficina serão as interações humanas num bairro típico de Lisboa. Na companhia de Pedro Alves, um nativo da Graça, e de Pedro Loureiro, um turista na Graça, Iremos fazer uma série de exercícos que nos vão preparar para desenhar multidões, pessoas em movimento e histórias interpessoais.

A oficina The Typical Neighbourhood irá ter lugar no Largo da Graça, em Lisboa. Encontramo-nos em frente à Estação dos Bombeiros.

Inscrição:
Aula avulso – 30€ / desconto* – 15€
Programa Completo (36 aulas) – 550€ / desconto* – 450€
Meio Programa (18 aulas) – 320€ / desconto* – 220€
Spring Classes (12 aulas) – 250€ / desconto* – 200€
Summer Classes (12 aulas) – 250€ / desconto* – 200€
Winter Classes (12 aulas) – 250€ / desconto* – 200€
Sping, Summer, ou Winter meio programa (6 aulas) 150€ / desconto* – 100€.
* desconto para estudantes e associados USkP

Contacto para inscrições:
education@urbansketchers.org

Consulta o programa completo aqui.

Vila Berta

Lisboa is warming up for the Santos festivities, later on, in the evening.

Vila Berta, in Graça, became a phenomenon, a few years back, by bringing to the festivities an audience that wasn’t used to partake in them, and by becoming one of the most known hubs of the fest in the city. These are the results of the effort of a few family members of the original builder of the model village, and of a municipal grant for renovation. I had the chance of meeting the main house of the vila, and get acquainted with the owners – descendants of the founding industrialist – who told a few stories about the house and the experience of living in one of the hotspots of the Santos.

Os Santos preparam-se para ser celebrados em Lisboa, logo à noite.

A Vila Berta, na Graça, tornou-se um fenómeno em Lisboa, há alguns anos atrás, ao atrair para as festividades dos Santos Populares uma parte da população que não tinha por hábito participar nelas, e a tornar-se num dos arraiais mais célebres da cidade. São os resultados do esforço de alguns familiares do construtor da vila operária, e de um financiamento camarário. Tive a oportunidade de visitar a casa-mãe, e de conhecer os proprietários, descententes do industrial fundador, que contaram algumas das peripécias da casa, e partilharam a experiência de viver num dos pólos das festas de Lisboa.

Night sketching workshop – Lisboa à noite

Have you ever danced with the devil in the pale moonlight?
~ Tim Burton’s Joker / Joker de Tim Burton

Most sketchers enjoy their cities during the daylight, when views are crisp, shadows are sharp, and colors are vivid. But when the night comes, a different challenge begins.

Sketching the cityscape at night is both easy and challenging! The easy aspect of it, is that your palette gets reduced to a couple – three at most – colors. Simplification of what you see – that includes lines, shapes and colors – is key.

The challenge is to be precise in saving the whites in your paper. With watercolor, there’s no going back – at most, you can wash off the amount of pigment in a lighted area. And the light parts, the glare of public lamps, the shiny surfaces, are scarce and vital for the success of your sketch.

After successfully leading night sketching workshops in Torres Vedras, Sintra and Lisbon, the Pedros – Pedro Alves and Pedro Loureiro – are now returning to the historical old town of Lisbon, to Miradouro da Graça. Together, we’ll share experiences, techniques and tricks of the trade, and we’ll capture the evening beauty of the Portuguese capital city in our sketchbooks.

Thanks to a generous support from the german manufacturer Hahnemühle, all participants will receive a 20-sheet watercolor pad Expression, fine grain, 300gsm, 24x30cm 100% cotton paper.

June 22nd (Friday) from 9pm to 12pm
Min 8 participants – Max 20 participants
25€ – general registrations
20€ – Urban Sketchers Portugal members

Please register until the 20th to the emails stillsketch.tvedras@gmail.com (Pedro Alves) and/or pedro.mac.loureiro@gmail.com (Pedro Loureiro)

A maioria dos desenhadores disfrutam das suas cidades durante o dia, quando as vistas são límpidas, as sombras são definidas e as cores são vívidas. Mas quando a noite chega, começa um novo desafio.

Desenhar a cidade à noite é fácil por um lado, e desafiante por outro! A parte fácil é que a paleta cromática fica reduzida a duas cores, trés no máximo. A simplificação do que se vê – linhas, formas e cores – é fulcral.

O desafio é ser preciso na reserva do branco do papel. Com aguarela não há retorno – no máximo, conseguimos remover algum pigmento em alguma área mais bem iluminada. Os focos de luz, o brilho da iluminação pública, as superficies reflectoras, são escassas e vitais para o sucesso de um desenho noturno.

Os Pedros (o Alves e o Loureiro), no seguimento do sucesso dos seus workshops nocturnos em Torres Vedras, Lisboa e Sintra, vão regressar à capital para orientar um Workshop de desenho nocturno no centro histórico, no miradouro da Graça. Vamos captar a beleza nocturna de Lisboa nos nossos diários gráficos, partilhando técnicas, truques e experiências de como desenhar à noite.

Graças a um generoso apoio do fabricante alemão Hahnemühle, todos os participantes irão receber um bloco de 20 folhas de papel de aguarela Expression, 100% algodão grão fino, 24x30cm, 300gsm.

22 de Junho (sexta-feira) das 21:00 às 00:00
Mínimo 8 participantes – Máximo 20 participantes
25€ – preço normal
20€ – desconto para associados dos Urban Sketchers Portugal
Pedidos de informação e inscrições até 20/06 para email stillsketch.tvedras@gmail.com (Pedro Alves) e/ou pedro.mac.loureiro@gmail.com (Pedro Loureiro)
Esperamos por vós, até lá.

Tango in Lisboa

For nearly a week, a few hundreds of tango enthusiasts from all over the world stormed the glorious setting of the Voz do Operário great hall to attend the annual International Lisbon Tango Festival.

Durante praticamente uma semana, algumas centenas de entusiastas de tango de todo o mundo invadiram o cenário glorioso do grande salão da Voz do Operário, para participar no Festival Internacional de Tango de Lisboa.

During the day, maestros taught the less experienced in the art of the Argentinian dance. In the early evening, champagne bottles would pop-open to celebrate the mixed show of a Buenos Aires band and the singers and dancers that made the audience travel in time and space, across the Atlantic and beyond the equator, to 1930’s smoke-filled clubs of the city on the silver river.

Durante o dia, maestros ensinavam os menos experientes na arte da dança Argentina. Ao princípio da noite, garrafas de champanhe abriam-se ruidosamente em celebração dos espectáculos mistos de uma banda de Buenos Aires e os cantores e dancarinos que fizeram a plateia viajar no espaço e no tempo, através do Atlântico e para lá do equador, até à década de 30, e aos clubes fumarentos da cidade à beira do rio de prata.

Then, come midnight, all the tables would be removed. The gigantic clubhouse turned into a dancing hall for the all-night milonga that would last until the sunrise. Couples paired for the first dance and they rarely kept together, much like a fast-dating event. Partners experimented each other’s embrace, and looked for a match that would dance them the night away.

Depois, à meia-noite, todas as mesas eram retiradas. O enorme clube transformava-se num salão de dança para a milonga que durava até ao nascer do sol. Casais juntavam-se para a primeira dança e raramente continuavam juntos, um pouco como um  evento de fast-dating. Parceiros experimentavam o abraço de uns e outros, e procuravam quem lhes agradasse para dançar pela noite dentro.

As for us, sketchers, we sketched. Not as long as the dancers danced though, for the week had been long for all of us. Myself having the only reference in a single panel of Hugo Pratt’s graphic novel Tango, I tried to follow the master’s lead, as well as the maestros steps both onstage and in the dance hall.

Nós, os desenhadores, desenhávamos. Não durante tanto tempo como os dancarinos dançavam porém, porque a semana já ia longa para todos. Eu, tendo apenas como referência uma única prancha da banda desenhada Tango, de Hugo Pratt, tentei seguir o trilho do mestre, e os passos dos maestros tanto no palco como no salão.