Poland goes to Lisboa

One thing that relates Poland with Portugal is that they usually show up next to each other in drop-down lists when filling online registration forms.

Silly stuff aside, they’re both catholic majority countries, which probably accounts for some of the recent increase in Polish tourists walking in the streets of Lisboa. Among them, were two very special visitors.

Uma coisa que liga a Polónia a Portugal é que, normalmente, os dois aparecem ao lado um do outro nas listas de países, quando se preenchem formulários online.

Parvoíces à parte, são ambos países com população maioritariamente católica, o que provavelmente justifica parte do aumento recente de turistas Polacos nas ruas de Lisboa. Entre eles, estiveram dois visitantes muito especiais.

Kasia Szybka, from Warsaw, was visiting Portugal, invited by Turismo de Portugal – the government tourism office – to sketch the Pope’s visit to Fátima in the 100th anniversary of the apparitions of the holy mother. Pedro and I invited her to come sketch with us during one of our lunch hours. We took her to cozy and picturesque Largo dos Trigueiros for a coffee and a doodle. We shared a bit of dark humor and stories about our visits to each other’s countries.

Kasia Szybka, de Varsóvia, visitou Portugal convidada pelo Turismo de Portugal , para visitar a visita do Papa a Fátima no 100º aniversário das aparições. O Pedro e eu convidámo-la a vir desenhar connosco durante a hora de almoço. Levámo-la ao acolhedor e pitoresco Largo dos Trigueiros para um café e um rabisco. Partilhámos humor negro e histórias das visitas aos países de uns e outros.

Mateusz Hajnysz from Łódź came to visit western Algarve and Lisboa with his wife and two kids. Mateusz was the first sketcher I met in Manchester the day before the Urban Sketchers International Symposium kicked-off last year. We used the same Largo dos Trigueiros as the starting point of a tour around the Castelo hill, which saw us sharing tips on lighting in watercolor, how to sketch weddings and how to manage a local urban sketchers chapter. In the end, we came to the conclusion that both our languages had tricky and illogical pronunciation rules.

Mateusz Hajnysz de Łódź veio visitar o barlavento Algarvio e Lisboa com a mulher e os dois filhos. O Mateusz foi o primeiro desenhador que conheci em Manchester, no dia anterior ao arranque do Simpósio Internacional de Urban Sketchers, no ano passado. Usamos o mesmo Largo dos Trigueiros como o início de um passeio à volta da colina do Castelo, que nos ouviu a partilhar dicas sobre luz na aguarela, como desenhar casamentos e como gerir um grupo local de urban sketchers. No final, chegámos à conclusão que ambas as nossas línguas têm regras de pronunciação estranhas e meandrosas.

Lessons from Portimão

Whenever I teach in a sketching workshop I end up teaching myself something in the process. Either I manage to sum up my latest work processes and experiments, drawing some unforeseen wisdom off of it, or I remind myself of practices and techniques I hadn’t used in long.

Ao ensinar numa oficina de desenho, acabo sempre por aprender algo no processo. Ou faço uma revisão dos meus processos de trabalho e experiências, recolhendo alguma sabedoria imprevista, ou relembro práticas e técnicas que já não uso há muito.

170325-portimao-02

In mine and Pedro Alves‘ workshop in Portimão last weekend, the sketches I did on Sunday were heavily influenced by the challenges we had laid upon our students on Saturday. Urban Sketchers Algarve and the Municipality of Portimão invited us to teach a full-day workshop, and we decided to give a a test run to a programme that we had prepared before. It’s called “The narratives of architecture and the people that experience it“, a two-chapter workshop that challenged participants to 1) tell a sketched story of a particular piece of architecture in the town center, and 2) tell the story of the relationship of that piece of architecture with the people using it. This had to be accomplished using simple graphical techniques, such as asymmetrical planes, two-point perspective and foreground/background contrasts.
Na oficina que ensinei com o Pedro Alves no passado fim-de-semana em Portimão, os desenhos que fiz no domingo foram fortemente influenciados pelos desafios que lançámos aos alunos no sábado. Os Urban Sketchers Algarve e o Município de Portimão convidaram-nos para uma oficina de desenho de dia inteiro, e decidimos ensaiar um programa que já tinhamos preparado previamente. Chama-se “Narrativas da arquitectura e das pessoas que a vivem“, uma oficina de dois capítulos que desafiou os participantes a 1) contar a história desenhada de uma peça de arquitectura em particular no centro da cidade, e 2) contar a história da relação dessa peça de arquitectura com as pessoas que a usufruem. Estes desafios tinham de ser cumpridos usando técnicas visuais simples, como planos assimétricos, perspectiva de dois pontos de fuga e contrastes entre planos.
170325-portimao-demo-02
Framing your story for focus / Enquadramento da história para maior enfoque
170325-portimao-demo-01
Foreground and background enhancing the story focus in the middleground / Primeiro plano e plano de fundo a destacar a história no plano médio
170325-portimao-demo-04
Central character in the foreground, people and architecture in the background / A personagem central no primeiro plano, pessoas e arquitectura no plano de fundo
170325-portimao-demo-03
Keeping the horizon line on the eye level, or on the butt level / Mantendo a linha de horizonte ao nível dos olhos, ou do rabo 

A local teacher decided to enroll her class of 15-year old art students in the workshop, and that proved a mighty challenge for Pedro and I! But, hopefully, it was a rewarding challenge for both us and the participants. Pedro led the first chapter, focused on architecture, and I led the second chapter focused on people related to architecture.

Uma professora local decidiu inscrever a sua turma de alunos de arte de 15 anos, e provou ser um desafio e pêras para o Pedro e para mim! Queremos acreditar que foi uma experiência recompensadora tanto para nós como para os participantes. O Pedro conduziu o primeiro capítulo, focado na arquitectura, e eu conduzi o segundo, focado nas pessoas a relacionarem-se com a arquitectura.

170325-portimao-01

On Sunday, the Urban Sketchers Algarve gathered to sketch Portimão under the overcast sky. I joined some of the students, sheltered by the great glass box opposite the Town Hall. Having their company as a reminder of the exercises the day before, the sketches became fast and loose, with the intended focus and direction.

No domingo, os Urban Sketchers Algarve juntaram-se para desenhar Portimão debaixo de um céu nublado e chuvoso. Juntei-me a alguns dos alunos, abrigados pela grande caixa de vidro em frente à Câmara Municipal. Com a companhia deles como recordação dos exercícios do dia anterior, os meus desenhos tornaram-se mais rápidos e soltos, com o enfoque e direcção que se pretendia.

170325-portimao-03

A merry lunch at Porta Velha with everybody, closed the sketch meeting.

A patuscada com todos ao almoço na Porta Velha fechou o encontro de desenho.

Festival Med #4

160702 Loule 10

One concert I was personally eager to watch – especially after getting to know the artists in the afternoon – was Capicua. She has written some of the best and most relevant lyrics that has been sung in the past years, and the play with words in a northern accent is a delight to listen to, as befits a hip-hop artist from Porto. Capicua brings with her one hell of a crew which includes the energetic backup singer Marta Bateira, best known in Youtube by her character Beatriz Gosta. The surprise of the show was that each song was being digitally illustrated live in the background by the super talented Vítor Ferreira!

Um concerto que eu antecipava com emoção – especialmente depois de ter conhecido os artistas durante a tarde – foi a Capicua. Ela escreveu algumas das melhores e mais pertinentes canções dos últimos anos, e o jogo de palavras com sotaque do norte é uma delícia de se escutar, como convém a uma artista hip-hop do Porto. Capicua traz consigo uma equipa do camandro, que inclui a eléctrica cantora Marta Bateira, mais conhecida no Youtube pela sua personagem Beatriz Gosta. A surpresa do espectáculo for que cada canção foi digitalmente ilustrada ao vivo, no fundo do palco pelo talentoso Vítor Ferreira!

160703 Loule 01

The town was dead quiet the next morning. Everyone were recovering after three intense days of concerts at Festival Med. Everyone, but a handful of sketchers who just couldn’t get enough.

Na manhã seguinte, as ruas da cidade estavam um deserto. Todos recuperavam depois de três dias intensos de concertos no Festival Med. Todos, excepto uma mão cheia de desenhadores que não descansavam.

Festival Med #1

160702 Loule 01

Urban Sketchers Algarve got the Municipality of the small Algarvian town of Loulé to invite a group of sketchers to record one of the largest and most peculiar events in the southern part of the country – Festival Med. It started out thirteen years ago as a Mediterranean music fest, but went on to become a well-known world music festival. The peculiar thing about Med is that it happens on several stages inside the old town. A complex system of guards and fences keeps out those without ticket – thus, inadvertently recreating the market tribute system of medieval towns.

A Câmara Municipal de Loulé, através dos Urban Sketchers Algarve, convidou desenhadores Portugueses a visitar e desenhar a cidade durante um dos maiores e mais peculiares eventos no sul do país – o Festival Med. O que começou há treze anos atrás como um festival de música mediterrânica, veio a tornar-se um reconhecido festival de música do mundo. O especial do Med é que é realizado em diversos palcos no interior da cidade antiga. Um sistema complexo de guardas e grades mantém aqueles sem bilhete fora da cidade – inadvertidamente recreando o sistema de tributo mercantil das cidades medievais.

160702 Loule 02

Of course one of the entry points of the premises had to be the iconic – and nearly centennial – Loulé’s market. Inside, the fishmongers, fruit sellers, palm readers and meat cutters got the tourists’ attention, while these stepped inside seeking shelter from the sun. The sidestreets were covered with colorful cloths to mitigate the extreme heat. All the while, busy sketchers sketched all their way to lunchtime.

Claro que um dos pontos de entrada no recinto, ou na cidade, teria de ser o icónico – e quase centenário – Mercado de Loulé. Lá dentro, peixeiras, fruteiros, videntes e talhantes chamavam a atenção aos turistas que entravam, abrigando-se do sol. As ruas laterais estavam cobertas por grandes lonas coloridas, para mitigar o calor extremo. No entretanto, desenhadores ocupados desenhavam o seu caminho até à hora do almoço.

160702 Loule 03