10×10 Lisbon: Skyscrapers

In my second class as instructor in the Urban Sketchers 10 Years x 10 Classes programme in Lisboa, the challenge was to sketch far and below from a skyscraper. But conventional tall buildings are scarce in this capital city, and not very suitable places to sketch from, so I opted to lead the participants to one of Lisboa’s own alternative skyscrapers – the Nossa Senhora do Monte vantage point.

Na minha segundo experiência como instrutor do curso 10 Years x 10 Classes dos Urban Sketchers em Lisboa, o desafio era de desenhar longe e abaixo a partir de um arranha-céus. Mas edifícios altos convencionais são raros na capital, e não são locais adequados de onde se desenhar, portanto optei por orientar os participantes a partir de um dos arranha-céus invulgares de Lisboa – o miradouro da Nossa Senhora do Monte.

In all of the three exercises, the key skill to focus on was the simplification of the immense sea of detail that the vantage point offered us. First, we simplified horizontally, by translating all of the city’s skyline in a single continuous line, adding detail in but a few buildings that caught our attention, labeling them.

Em todos os exercícios, a chave era a simplificação do imenso mar de detalhe que o miradouro nos oferecia. Primeiro, simplificámos horizontalmente, traduzindo todo o skyline da cidade numa única linha contínua, acrescentando detalhe em apenas alguns edifícios que captavam a nossa atenção, e legendámo-los.

Then, we simplified vertically, finding a path between the roof just under our feet and a chosen destination in the skyline, tracing roofs, windows, facades and streets on the way. Anything that seemed suited to make our sketch progress upwards. On the way, we found a city feature and, exploring it a bit, we wrote a sentence or small paragraph about it.

Depois, simplificáos verticalmente, encontrando um trilho entre o telhado mais próximo dos nossos pés e um destino à escolha sobre o skyline, desenhando sobre telhados, janelas, fachadas e ruas no caminho. Qualquer coisa que fizesse o nosso desenho progredir para cima. No caminho, encontrámos um marco da cidade e, explorando-o um pouco, escrevemos uma frase ou um pequeno parágrafo sobre ele.

Finally, we simplified the relationship of people with the city. Outbursts of tourists in the vantage point oversimplify Lisboa – “there’s the place where we were”, “the bridge looks like the one in San Francisco”, “that’s where our hotel is”. Any of those simple sentences could generate a simple story. That story was to be written also in lines, from the person saying it to the place that was mentioned, again, roof to facade, window to street, along a continuous path, simplifying shapes and stories.

Finalmente, simplificámos a relação das pessoas com a cidade. Os dizeres dos turistas no miradouro simplificam Lisboa exageradamente – “ali está o sítio onde estavamos”, “a ponte parece a de São Francisco”, “é ali que é o nosso hotel!. Qualquer destas frases simples pode gerar uma história simples. Essa história teve de ser escrita também em linhas, partindo do desenho da pessoa que a diz até ao sítio que é mencionado, novamente, de telhado a fachada, de janela a rua, ao longo de um caminho contínuo, simplificando formas e histórias.

Indigo clouds against a burnt yellow sunset

As if trumpeting the summer, a scorching near-40-degree south wind from the Sahara swept through the country during the weekend, catching both natives and tourists off-guard. Shades, water fountains and public air conditioned buildings became highly-valued prizes.

The flash thunderstorm came as a surprise to the people in the annual book fair in Parque Eduardo VII. For a few minutes, thick drops of water replaced the baking heat while dark indigo clouds set against a strangely burnt yellow sunset. It was as if the dire palette was the prelude of the soon-to-arrive catastrophic news.

The thunderstorm also hit the center region of the country, igniting a major forest fire in Pedrógão Grande that cut roads, isolated villages and claimed 62 lives. It’s the biggest natural disaster in decades and but one of a total of 156 active fires in Portugal. The government decreed a three-day national mourning while the effects of the tragedy are being quenched and its victims and their families are relieved.

Como que a anunciar o verão, um vento escaldante do Sahara de quase 40 graus varreu o país durante o fim-de-semana, apanhando desprevenidos nativos e turistas. Sombras, repuxos e edifícios públicos com ar condicionado tornaram-se bens preciosos.

A trovoada fulminante surpreendeu os visitantes da Feira do Livro no Parque Eduardo VII. Durante alguns minutos, gordas gotas de chuva substituiram o forno a céu aberto enquanto que nuvens escuras de tom indigo se situaram contra um pôr-do-sol de um amarelo estranhamente queimado. Era como se a paleta lúgubre fosse o prelúdio das notícias catastróficas que estavam para chegar.

A trovoada também atingiu o centro do país, acendendo um fogo florestal em Pedrógão Grande, que cortou estradas, isolou aldeias e ceifou 62 vidas. É o maior desastre natural em décadas e apenas um de 156 incêndios activos em Portugal. O governo declarou um luto de três dias enquanto se mitigam os efeitos da tragédia e se cuidam das vítimas e das suas famílias.

Solidarity sardines

170612-mouraria

During the festivities of the Santos Populares, the districts of the old town of Lisboa get swarmed by hundreds of thousands of people, relishing on cheesy music, beer, bifanas and the traditional sardinhadas (the act of grilling sardines) that announce Summer as swallows do Spring.

Durante a celebração dos Santos Populares, os bairros da Lisboa velha são invadidos por centenas de milhar de pessoas, deliciando-se com música da boa, cerveja, bifanas e a tradicional sardinhada que anuncia o Verão como as andorinhas a Primavera.

In the heart of Mouraria, the residents of one particular building held a solidarity sardinhada to raise awareness to their dramatic situation. All 16 families living there were given an eviction order by the newly anointed landlord, who wants to capitalize the building as an investment product. While the city hall is moving to improve local infrastructures, few policies seem to prevent the current residents of the old districts of Lisboa from being evicted with little chance of retaining their homes or procuring a reasonably priced alternative, and so, any improvements in the area benefit investors alone.

No coração da Mouraria, os habitantes de um edifício organizaram uma sardinhada solidária para chamar a atenção sobre a sua situação dramática. Foi dada ordem de despejo às 16 famílias que lá vivem, pelo novo proprietário, que quer capitalizar o edifício como um produto de investimento. A Câmara Municipal implementa melhorias na infraestrutura, mas poucas medidas parecem prevenir que os actuais habitantes dos bairros antigos de Lisboa sejam despejados com possibilidades mínimas de manter os seus lares ou encontrar alternativas a um preço razoável. E assim, quaisquer melhorias na área acabam por beneficiar apenas o investidor.

While these residents are more outspoken in their protest – the action attracted the attention of a french camera crew and a few local politicians – their struggle is by far not unique, as the same kind of takeover is happening all around the city, in old and new districts alike. The dramatic result is that housing prices for purchase and rental are skyrocketing all around, becoming inaccessible to the local populations, especially for those who, like the tenants of the Rua dos Lagares 25, have lived their whole lives in the old town of Lisboa.

Enquanto estes habitantes são mais activos no seu protesto – a acção atraiu a atenção de uma câmara francesa e alguns políticos locais – a sua luta não é, de longe, a única, já que o mesmo tipo de problema acontece um pouco por toda a cidade, nos bairros velhos bem como nos novos. O resultado dramático é que os preços de arrendamento ou venda se tornaram estratosféricos, tornando a habitação inacessível às populações locais, particularmente para aqueles que, como os inquilinos da Rua dos Lagares 25, viveram toda a sua vida na Lisboa velha.

Tango live sketching warmup

Sketching live dancers is probably one of the greatest challenges for someone who enjoys sketching people. There’s so much chaos involved, especially if you’re not familiar with the dance moves.

Desenhar dançarinos ao vivo é, provavelmente, um dos maiores desafios para alguém que gosta de desenhar pessoas. Há tanto caos no processo, especialmente se não estamos familiarizados com os passos de dança.

18987646_500569453610234_1143374035_o

Carlos – sketcher and tango-enthusiast – invited a few of us – Mónia, Luís and I – to attend the International Lisbon Tango Festival as live sketchers. To get the most tango neophytes possible, the Festival organized tango workshops on the week before, having instructors teach the very first steps of the Argentinian dance to participants. For us sketchers, these were welcome warm up sessions. In the bucolic scenery of the Palácio Pimenta, where the Museu da Cidade is housed, beginners clumsily and shyly shed their fears to the dancing floor, as the instructors told them about the significance and uniqueness of the embrace in tango.

Carlos – desenhador e entusiasta de tango – convidou alguns de nós – a Mónia, o Luís e eu – a assistir ao Festival Internacional de Tango de Lisboa para desenhar ao vivo. Para alcançar o máximo número de neófitos de tango possível, a organização ofereceu oficinas de tango na semana anterior ao festival, com instrutores ensinando os primeiros passos da dança Argentina aos participantes. Para nós, desenhadores, estas sessões foram um aquecimento muito bem vindo. No cenário bucólico do Palácio Pimenta, onde o Museu da Cidade está instalado, os principiantes, tosca e embaraçadamente, deixavam os seus medos cair no chão de dança, à medida que os instrutores lhes mostravam o significado único do abraço no tango.

18986650_500569456943567_735311626_o

Clumsily and shyly also describes how our sketching started. The scenery was overwhelming with detail, but the dancing should be the focus, so I struggled back and forth in detailing the natural back- and foreground. To describe the action and characters, I opted for silhouettes as it would help me explore the lighting of the scene, create the illusion of motion and also strip the dancers bare of casual clothing and visual characterization. This also allowed me to focus on body language and relationship in the dancing pairs – which is, after all, the main focus of tango.

Toscos e envergonhados também descreve bem a forma como começámos a desenhar. O cenário era arrebatador de detalhado, mas a dança deveria ser o ponto focal. Andei para trás e para a frente com os detalhes da natureza do primeiro plano e do fundo. Para descrever a acção e as personagens, optei por usar silhuetas. Isso iria ajudar-me a explorar a luz da cena, criar a ilusão de movimento e também despir os dançarinos da sua roupa do dia-a-dia e da sua caracterização. Também me permitiu focar o desenho na linguagem corporal e na relação entre os pares – que afinal, é o principal foco do tango.

18949074_500569460276900_100224139_o

These first three watercolors are exhibited in the antechamber of the main hall of Voz do Operário, together with Mónia’s, Carlos’ and Luís’ ones. During the Festival, more of them will join the showcase as we spend our next few evenings in the sweaty milongas of the dancing hall.

Estas três primeiras aguarelas estão em exposição na antecâmara  do grande salão da Voz do Operário, lado a lado com os desenhos da Mónia, do Luís e do Carlos. Durante o festival, mais aguarelas irão juntar-se à mostra, à medida que passarmos as nossas próximas noites nas milongas suadas do salão de dança.

18987478_500765326923980_1540517045_o

Chamusca, the heart of Ribatejo

Chamusca lies along the south bank of the Tejo, in the heart of the highly agricultural Ribatejo. The City Hall harnessed this geographical claim as a promotion tool for the tourism in the region. “Chamusca, the Heart of Ribatejo” is the new message that they’re sending out to the rest of the country, basing the campaign on the town’s rich gastronomy, fervent cultural life and strong traditions. The mayor himself is a sketcher, so the City Hall invited the urban sketchers to visit Chamusca and have a go at their sights and colors.

A Chamusca fica na margem sul do Tejo, no coração do Ribatejo agrícola. A Câmara Municipal tomou para si esta assinatura geográfica como uma ferramenta de promoção ao turismo na região. “Chamusca, o Coração do Ribatejo” é a nova mensagem que pretendem enviar ao resto do país, baseando a campanha na riqueza da gastronomia, na cultura fervilhante e na força das tradições. Sendo o próprio Presidente da Câmara um desenhador, a Câmara Municipal convidou os urban sketchers a visitar a Chamusca para retratar as suas vistas e as suas cores.

161001-chamusca-01

From high up on the hill where the small Nossa Senhora do Pranto chapel sits, the Tejo wetlands and the town sitting on the foothill were ready to be sketched. Seemed like an ordinary wetlands town from there, but what was extraordinary was the very fact that we could gaze at all of it from above. Chamusca sits at the end of the Tejo valley and at the beginning of the wetlands which only stop at the Mar da Palha, and that gives the town an unique vantage point. The climb up wasn’t hard. The Town Hall bus brought us up. Our legs and appetite brought us down. Town Hall had prepared a veritable banquet in a local restaurant. We tasted all the different foods of the region, sided with a fado singer and guitar players.

Do topo da colina onde fica a pequena capela da Nossa Senhora do Pranto, o Tejo e a vila no sopé dos montes posavam para os desenhos. Tudo parecia indicar que esta era uma vila agrícola como tantas outras da lezíria , mas o que era extraordinário era o facto de a podermos observar assim do topo, com a vastidão da lezíria defronte. A Chamusca fica no fim do vale do Tejo e no início da vasta lezíria que termina no Mar da Palha, e isso faz com que seja um lugar único, onde as colinas do vale ainda permitem ver a vastidão fértil do Tejo. A subida não foi difícil. O autocarro da Câmara tratou disso por nós. As nossas pernas e o nosso apetite trouxeram-nos de volta à vila. A Câmara preparou um verdadeiro banquete num restaurante local. Provámos as diferentes iguarias regionais, guarnecidas com fadista e guitarristas.

161001-chamusca-02

Well nourished, it was time to spend a semi-lazy sunny afternoon sketching the historical center of Chamusca. The town is peppered with buildings related to agriculture, usually cooperatives and early to mid-20th century state institutes, bound at the time on controlling and taxing both the farming population and the agricultural elites of old.

Bem nutridos, estava na altura de passar uma tarde solarenga meio preguiçosa no centro histórico da Chamusca. A vila está polvilhada de edifícios relacionados com agricultura, cooperativas e edifícios de serviços do estado da primeira metade do séc. XX, lançados na tarefa de controlar e taxar tanto a população agrícola como as elites agrícolas da altura.

161001-chamusca-03

Besides the great feast and the tour up the hill, another great gift the Town Hall had for us was a set of high quality paper folded sketchbook, all of them locally handmade by artisans Linha28. I got from it the best reaction from my Rembrandt watercolors that I’d seen in a long time! And it gave me a chance to wrap up one sketch meeting in one sketchbook. OCD victory!

Para além do lauto banquete e da viagem à capela, uma outra oferta da Câmara foi um conjunto de cadernos desdobráveis com papel de alta qualidade, fabricados à mão pelos artesãos locais Linha28. Dele tive a melhor reacção das minhas aguarelas Rembrandt que tinha visto há muito tempo! E deu-me a oportunidade de fechar um encontro num único caderno. Vitória do TOC!