Genoa Lisboa Sketch Connection

In the summer of 2019, I had the chance to visit Genova to teach a sketching workshop, and participate in a sketching event with the great people of USk Liguria. It soon became apparent that Genova and Lisboa had much in common: the good food, the old narrow streets, the waterfront, the steep hills, the rich history.

Before the end of the year, Valentina Raiola – one of the USk Liguria admins, and a great drink and draw companion – approached me with the idea of sharing the similarities between both cities in monthly sketches. And so, Genoa-Lisboa Sketch Connection was born!

For the next 12 months, Valentina and I will share with the world the similarities between Genova and Lisboa, through sketches and text, in our blogs and social media. We will each post one sketch per month, each one based on a theme that connects both cities. Think Inktober but less frantic and establishing a bridge between two places and two people.

Follow us in #GenoaLisboaSketchConnection

No verão de 2019, tive a oportunidade de visitar Genova para dar uma oficina de desenho e participar num evento de desenho com o pessoal dos USk Liguria. Cedo se tornou aparente que Genova e Lisboa tinham muito em comum: a boa comida, as velhas ruas estreitas, a frente aquática, as encostas íngremes, a riqueza histórica.

Antes do final do ano, a Valentina Raiola – uma das administradoras dos USk Liguria, e uma excelente companheira do desenha-e-bebe – propôs-me a ideia de partilharmos as semelhanças entre as duas cidades em desenhos mensais. Assim nasceu a Genoa-Lisboa Sketch Connection!

Durante os próximos 12 meses, a Valentina e eu iremos partilhar com o mundo as semelhanças entre Genova e Lisboa, através de desenhos e texto, nos nossos blogs e redes sociais. Iremos publicar um desenho por mês, cada um baseado num tema que liga ambas as cidades. Tipo Inktober, mas menos frenético e estabelecendo uma ponte entre os dois locais e povos.

Sigam-nos em #GenoaLisboaSketchConnection

Avaliando o SM.LT Art Authenticbook

(click here for the English review)

Já passou mais de um ano desde que os fabricantes Lituanos SM.LT Art gentilmente patrocinaram as oficinas de desenho minhas e do Pedro Alves, num fim-de-semana em Barcelona, e na Winter Sketching School de Riga. É já tempo de avaliar um dos seus espectaculares produtos.

A colecção de Authentic Albums da SM.LT inclui o caderno cosido Authentic Watercolor. É uma peça de design descontraída, perfeita para desenhos relaxados, para a prática diária, ou para um fim de semana fora a desenhar. É leve, super portátil e o formato A5 é grande o suficiente para desenhos panorâmicos. Em Portugal, está à venda online a 4.99€ na Olmar.

Exterior

 O azul da capa de cartolina reciclada destaca o caderno de aguarela dos restantes cadernos na colecção Authentic Albums.

Sendo de cartolina, a capa é, claro, sujeita a manchas e sujidade. Mas isso não é problemático se, não como eu, forem cuidadosos com as vossas coisas. A parte boa é que se tem um par de “páginas” azuis extra, para uma experiência artística diferente. A capa mole pode ser desafiante se estiverem habituados a desenhar em pé, ou sem uma superfície dura por baixo.

A capa e o papel são cortados simultaneamente, portanto não há disparidade de medidas entre eles. Os cantos arredondados do caderno ajudam a reduzir danos de uso, mas a principal característica que protege o caderno de se degradar é a sua brevidade – as 24 páginas que o compõem enchem-se num instante! Até agora, cada um dos três Authentics que usei duraram apenas um mês. Há pouca possibilidade de grandes danos ao caderno em tão pouco tempo.

Papel

As 12 folhas de papel de aguarela de celulose com 280g/m2 são cosidas por uma linha vermelha, visível na espinha do spread central. É um detalhe giro, como se fosse um tracejado vermelho, que nos avisa que já vamos a meio do caderno, e que talvez seja altura de encomendar mais um.

Atirei-lhe com o meu melhor e o meu pior, e os resultados são mistos. É um papel muito bom para experiências de aguarela, e conseguem-se tons vibrantes. Tem uma textura ligeiramente rugosa – algo como um grão grosso espalmado – mas suave o suficiente para que canetas de aparo finas passeiem sobre o papel sem percalços.

Abre completamente, portanto consegue-se uma boa dupla página, para um desenho panorâmico ininterrupto. O papel absorve a água rapidamente, de modo que é melhor ser-se bastante rápido com o pincel, se quisermos misturar cores. O uso de cores intensas causa alguma transferência de manchas de página para página, piorando com o tempo. O melhor é digitalizar os desenhos pouco tempo depois de se acabarem, porque as páginas irão ficar manchadas ao longo do tempo.

Contagem final dos prós

  • Papel de celulose equilibrado, para a dose diária de desenhos e aguarelas.
  • Curto o suficiente para se gastar numa viagem ou evento de poucos dias.
  • Leve e portátil.
  • Muito barato.
  • Abre totalmente.
  • Proporções ao baixo muito convenientes (mais alto que outros cadernos).

Contagem final dos contras

  • Transfere cores intensas de página para página, ao longo do tempo.
  • Capa sujeita a gasto e danos com uso prolongado.

Veredicto final

Tenho um sentimento de realização quando consigo compilar os desenhos de uma viagem de fim de semana ou um evento profissional num só caderno. O SM.LT Authentic Watercolor Book permite isso! É um caderno de aguarela breve e descontraído, mas competente, que permite um grande alcance em experiências de desenho e aguarela. É mais dado a desenhos rápidos, uma vez que a aguarela seca rapidamente. Irei, seguramente, usar mais destes cadernos no futuro.

10 years of Urban Sketchers Portugal

Unfortunately, my part in the celebration of the 10 years of the Urban Sketchers Portugal chapter was very short. There was a whole weekend planned out, but work kept me until Sunday morning, when I had the chance to join the sketchbook and brush gang.

Arriving at Terreiro do Paço, I saw dozens of people in the north side of the statue of D. José, and sat down sketching with them. I saw friendly, familiar and unfamiliar faces, old faces and very young faces. I saw Nelson Paciência running around so fast that sometimes he was sitting and sketching, other times he was taking photos with different clothes. I saw later that I had missed half the sketchers who sat on the sunny side of the equestrian statue. I saw the founder, Gabi Campanario. I saw flashbacks from the 2011 Lisbon Symposium, which, at a distance, looked really tiny. I saw these past ten years that changed my life completely, and I saw the main role that the urban sketchers had in that change!

Then, the food came, and I saw nothing else.

Thank you for these 10 years 🙂

Infelizmente, a minha participação na celebração dos 10 anos dos Urban Sketchers Portugal foi muito limitada. Com o sábado a trabalhar, apenas tive a manhã de domingo para me juntar à malta de caderno e pincéis em riste.

À chegada ao Terreiro do Paço, vi dezenas de pessoas no lado norte da estátua do D. José, e sentei-me logo com elas a desenhar. Vi rostos amigos, conhecidos e desconhecidos, rostos mais antigos e rostos muito novos. Vi o Nelson Paciência tão atarefado que ora estava a desenhar sentado no chão, ora estava de pé a fotografar com outra roupa já. Vi mais tarde que me desencontrei de metade dos desenhadores, porque estavam no lado solarengo da estátua equestre. Vi o fundador, Gabi Campanario. Vi flashbacks do Simpósio de 2011 de Lisboa, que à distância, parece uma miniatura. Vi estes dez anos todos, que tanto mudaram a minha vida, e vi o papel principal que os urban sketchers tiveram nessa mudança!

Depois puseram-me comida à frente e não vi mais nada.

Obrigado por estes 10 anos 🙂

Urban Sketchers Journals teaser

A few weeks ago I spent a weekend accompanied by a filming crew of EVA, an all-female video content producer. Their latest project, the Urban Sketchers Journals, is a monthly webseries which features one urban sketcher per episode. I got the honor of being the fourth episode featured sketcher. Paula and Ana’s final product is under work and coming soon. Meanwhile, you can get a glimpse of their professionalism and dedication with this teaser on Youtube. *Subtitled in English*

Há algumas semanas atrás, passei um fim-de-semana acompanhado por uma equipa de filmagens da EVA, uma produtora de conteúdos visuais no feminino. O seu último projecto, Urban Sketchers Journals, é uma webseries mensal que protagoniza um desenhador por episódio. Tive a honra de ser o desenhador apresentado pelo quarto episódio. O produto final da Paula e da Ana ainda está em progresso e será lançado em breve. Entretanto, podemos apreciar o seu profissionalismo e dedicação com este teaser no Youtube.

Capitolino, Palatino and Aventino

The Palatino hill is, as the name suggests, the palatial district of ancient Rome. Many emperors and patricians established their residences here, looking over the other six hills of the city, and connected to them by remains of fora and other public spaces. It is now a closed off, ticket-only area of the city, where tourists meander the ruins, finding out how the ancient masters of the empire lived their daily lives.

A colina do Palatino é, como o nome sugere, o bairro palacial da antiga Roma. Muitos imperadores e patrícios estabeleceram aqui as suas residências, com vista para as restantes seis colinas da cidade, e ligado a elas pelos restos dos fora e de outros espaços públicos. É agora uma área fechada, acessível com bilhete, onde os turistas contornam as ruínas, tentando descobrir como os antigos mestres do império viviam o quotidiano.

Right besides it, the Capitolino, a citadel hill heavily connected to the myths that populate the origins of Rome, was the building ground to several temples, including a major temple to Jupiter. Nowadays, the post-medieval palazzi dominate the hill, with the overwhelming Michelangelo’s Piazza del Campidoglio in center stage.

Mesmo ao lado, o Capitolino, uma colina-cidadela fortemente ligada aos mitos que povoam as origens de Roma, foi o local de construção de vários templos, incluindo um grande templo consagrado a Júpiter. Hoje em dia, os palazzi pós-medievais dominam a colina, com a estrondosa Piazza del Campidoglio de Michelangelo no centro do palco.

To the south lies the Aventino hill, made known for its association with working-class Romans and criminal leagues in HBO’s excellent series “Rome“. The historical past of the Aventino is that of a diverse area, where foreign peoples and religions made entry to the ancient city. Today, the Aventino is an affluent and idyllic hill, where wealthy manors and richly designed gardens overlook the Circo Massimo and the Tibre between the pines of the Giardino degli Aranci.

Mais a sul fica o Aventino, tornado famoso pela sua associação com a classe operária Romana e as associações criminosas na excelente série da HBO, “Rome“. O passado histórico do Aventino é de uma área diversa, onde povos e religiões estrangeiras entravam na cidade antiga. Hoje, o Aventino é uma colina afluente e idílica, onde mansões abastadas e jardins ricamente desenhados miram o Circo Massimo e o Tibre entre os pinheiros mansos do Giardino degli Aranci.