The Colosseum

The ancient controversial amphitheater is the archetypal icon of the Roman empire. The spectacle of life and death raged behind its arches and on its oval stage since its completion in 80 AD. Gladiators, slaves, convicts and beasts, all spilled their blood in the sand throughout the rule of the Roman emperors.

Its many uses along the ages, which attest to the architectural quality of the compound, also reflect the change in society’s priorities of life and the city. In the middle ages, dwellers of Rome made the vaults of the Colosseum their home. A religious order established itself there for a few centuries. A Roman family made it their stronghold for a while. Its stone blocks and bronze were taken away for other uses in the city. Earthquakes and fires also had their way with the structure, before it was finally gave way to the current waves of tourists that flock daily to the Colosseum.

O antigo e controverso anfiteatro é o ícone arquetípico do império Romano. O espectáculo da vida e da morte alastrava-se por detrás dos seus arcos e sobre o seu palco oval desde a sua conclusão em 80 dC. Gladiadores, escravos, condenados e feras, vertiam o seu sangue na areia ao longo do jugo do império Romano.

Os seus muitos usos ao longo da história, que atesta à qualidade arquitectónica do complexo, também reflecte as mudanças nas noções da sociedade sobre as prioridades da vida e da cidade. Na Idade Média, habitantes de Roma fizeram das abóbadas do Coliseu a sua casa. Uma ordem religiosa estabeleceu-se lá durante alguns séculos. Uma família Romana fez dele a sua fortazela por um tempo. Os seus blocos de pedra e partes em bronze foram retirados para outros usos na cidade. Terramotos e fogos também deixaram a sua marca na estrutura, antes de finalmente darem lugar às presentes vagas de turistas que, diariamente, invadem o Coliseu.

Pedros dual workshop in Oslo

The Pedros (Alves and Loureiro) are taking their dual workhsop – Night Sketching and Watercolor Storytelling – to the Norwegian capital city. We’re going to sketch the nordic night away and record the stories of the people in the company of the Urban Sketchers Oslo and any worldwide sketchers that would like to join.

These workshops are part of the Urban Sketchers educational programme, and are sponsored by Escoda. The brush manufacturer from Barcelona will provide a brush travel kit to be raffled among the participants.

Please click HERE for more info and registrations!

Sketch by Pedro Alves / desenho de Pedro Alves

Os Pedros (Alves e Loureiro) irão levar a sua oficina dupla – Night Sketching e Watercolor Storytelling – à capital Norueguesa. Iremos desenhar pela noite dentro e captar as histórias das suas gentes, na companhia dos Urban Sketchers Oslo e de quaisquer desenhadores à volta do globo que se queiram juntar a nós.

Estas oficinas são parte do programa educacional dos Urban Sketchers, e são patrocinados pela Escoda. A marca fabricante de pincéis de Barcelona irá oferecer um kit de pincéis de viagem a ser sorteado entre os participantes.

Por favor, cliquem AQUI para mais informação e inscrições!

Night Sketching in Óbidos

The Night Sketching workshop by the Pedros (Alves and Loureiro) returns to Portugal, after touring Barcelona and Riga. On May the 18th, we’ll get busy sketching and painting the medieval walled town of Óbidos.

This workshop is supported by Latitudes and sponsored by Posca pens. Each participant will get a free white Posca, ideal to sketch light sources over a watercolor wash.

Minimum attendance 8 participants – Maximum attendance 30 participants | Price per person: 30€ (25€ for USkP Association members) | Registrations until May 15th to: dklimpgen@gmail.com and/or pedro.mac.loureiro@gmail.com.

The Oeste Sketchers meeting in the morning after will be a pleasant incentive to stay overnight in the historical town.

Sketch by Pedro Alves / desenho de Pedro Alves

A oficina de desenho à noite dos Pedros (Alves e Loureiro) regressa a Portugal, depois de viajar por Barcelona e Riga. A 18 de Maio, iremos desenhar e pintar a vila medieval muralhada de Óbidos.

Esta oficina é apoiada pelo Latitudes e patrocinada pelas canetas Posca. Cada participante irá receber uma Posca branca, ideal para desenhar fontes de luz sobre uma aguarela terminada.

Mínimo 8 participantes – Máximo 30 participantes | Preço por pessoa: 30€  (Associados USkP: 25€) | Inscrições até 15 de Maio para mail: dklimpgen@gmail.com e/ou pedro.mac.loureiro@gmail.com

Como incentivo para pernoitar na vila histórica, os Oeste Sketchers organizaram um encontro de desenho na manhã seguinte.

Drawing Ground Zero

Last weekend, the iconic MAAT in Lisboa opened its doors to a group of sketchers, willing to see reality in a different way. In a workshop guided by Tomás Reis and I – Drawing Ground Zero – participants learned how to deconstruct their preconceptions on sketching, and pushed themselves to unify what they saw in a single-minded gesture, line by line.

Through demos and exercises on topographic drawing, the group produced drawings without edges, volumes instead of shapes, meshes of reality based on surfaces and textures alone.

 

The workshop was heavily based on João Louro‘s exhibition, Linguistic Ground Zero, featured in the museum, where the leveling of concepts and language were key to understanding the world from a different perspective.

Afterwards, all the participants got a free tour around the exhibitions of the museum. The reception we had at MAAT was outstanding, and we have to thank all the people there for having and supporting us, and to Patrícia Canastreiro for her excellent photo reportage!

No passado fim de semana, o iconico MAAT, em Lisboa, abriu as portas a um grupo de desenhadores prontos a ver a realidade de uma forma diferente. Numa oficina guiada pelo Tomás Reis e por mim – Drawing Ground Zero – os participantes aprenderam a desconstruir os seus preconceitos sobre desenho, e a levar adiante a ideia de unir tudo o que vêem num único gesto, linha a linha.

Através de demonstrações e exercícios sobre desenho topográfico, o grupo produziu desenhos sem arestas, com volumes em vez de formas, malhas da realidade baseadas apenas em superfícies e texturas.

A oficina for fortemente baseada na exposição do João Louro, Linguistic Ground Zero, em destaque no museu, em que a destruição de conceitos e linguagem era a chave para compreender o mundo de uma perspectiva diferente.

No final da oficina, os participantes tiveram direito a uma visita guiada gratuita às exposições patentes no museu. A recepção do MAAT foi fora de série, e temos de agradecer a todos os que nos apoiaram e ajudaram, e à Patrícia Canastreiro pela belíssima reportagem fotográfica!

Journals in the north

Nós e os Cadernos 2, an event in 2017 about sketchbooks organized by Tiago Cruz, was set in the beautiful surroundings of the Parque Natural do Litoral Norte, a natural reserve around the mouth of the Cávado river.

Nós e os Cadernos 2, um evento sobre cadernos, organizado pelo Tiago Cruz em 2017, teve como cenário a bela envolvente do Parque Natural do Litoral Norte, uma reserva natural em torno da foz do rio Cávado.

A handful of small historical towns pepper the area, and the participants benefited from a two-day tour, visiting three of them, all with different characters.

A região é polvilhada por pequenas vilas históricas, e os participantes do evento beneficiaram de visitas a três delas, todas com atmosferas diferentes.

Fão is a small medieval town just next to the last bridge over the Cávado. Many people that emigrated to the former colony in Brazil, ended up building a home here upon their return. There’s plenty of quality public spaces by the river shore, all lined and furbished in granite, which, for a southerner like me, is the first feature that stands out.

Fão é uma pequena vila medieval mesmo ao lado da última ponte sobre o Cávado. Muitas pessoas que emigraram para a antiga colónia do Brasil acabaram por construir a sua casa aqui, após o seu regresso. Abundam os espaços públicos à beira do rio, revestidos e ladeados em granito, que, para alguém natural do sul como eu, é a primeira característica a destacar-se.

Apúlia has been known as a beach resort for decades, and before that as a capture point for sargasso. Its most distinct feature is the sequence of windmills on the dune, which are now converted to touristic lodgings. But again, what stands out to my southerner eyes are the hut-like structures that shield the beach-goers from the harsh crisp wind, which aren’t definitely a feature on the south coast beaches.

A Apúlia é conhecida como uma estância balnear há décadas, e antes disso como uma área da apanha do sargaço. A sua característica mais marcante é a sequência de moinhos sobre as dunas, que agora estão convertidos em alojamento turístico. Mas, mais uma vez, o que se destaca aos meus olhos do sul são as pequenas barracas que polvilham a praia e abrigam os banhistas do vento ríspido. Estas não são definitivamente uma característica das praias da costa sul.

Then, there’s Esposende itself, the helm of the municipality that supported the event and our tours. Besides being a historical town worth visiting, the coastal landscape, the nature reserve around it and the myriad of interesting destinations in a reasonable distance make it a perfect home base to relax in the north of Portugal.

Depois, há a cidade de Esposende, a sede do concelho que apoiou o evento e os nossos passeios para desenhar. Para além de ser uma cidade histórica que vale a visita, a paisagem costeira, a reserva natural envolvente e a miríade de destinos interessantes a uma distância razoável, tornam-na o quartel-general perfeito para relaxar no norte de Portugal.