Um coldre de desenhador personalizado

(click here for the English review)

A companheira de desenhos e aluna frequente nas minhas oficinas Zé Resende tem muitos talentos. Trabalhar cabedal foi um dos que ela adquiriu na Winter Sketching School 2019 em Riga, numa oficina da Liene Ligere. Quando ela começou a publicar os seus designs incríveis de bolsas, soube que tinha de ter uma! Ela fez a minha de acordo com medidas e funcionalidades precisas, e combinou-as num design e aspecto coerente que flui bem.

O design é uma combinação simples de duas tiras de cabedal, cosidas à forma de uma bolsa vertical, onde cabem 7 a 8 canetas, lápis, pincéis ou spray – profunda o suficiente para os conter, mas não tanto que não se consiga pegar numa caneta sem dificuldade. A tira mais comprida dobra sobre o topo das ferramentas de desenho, protegendo-as e trancando-se ao deslizar por baixo de uma tira rebitada. Tem duas bolsas mais pequenas – uma na frente, para guardanapos de papel, e outra na parte de trás, para cartões de visita. Dois grampos estão fixos aos cantos superiores, onde a tira principal dobra, para fixar a bolsa às presilhas das calças. O toque de luxo: a Zé estampou as minhas iniciais na parte da frente!

O trabalho está incrivelmente preciso e robusto, e desempenha muito bem. Acaba com as confusões de andar com a tralha de material de desenho atrás. Está sempre acessível, e à altura da mão, mesmo como aqueles coldres de revólver do velho oeste. Com a bolsa à minha cintura, sinto que consigo desenhar mais rápido que a própria sombra! Este método de fixação às calças permite agachar e sentar sem que a bolsa incline e espalhe os pincéis pelo chão.

É um verdadeiro trabalho de artesã! A bolsa é um objecto bem trabalhado, com estilo e que nos leva a acarinhá-lo ao longo de uma vida de desenhos. Adapta-se a muitas ocasiões – eu uso-o no meu trabalho com os Wedding Sketchers, mas também para encontros de desenho e viagens. O seu apelo sensorial – o aspecto, a cor, a textura, mesmo o ligeiro cheiro do cabedal Marroquino – bem como a sua utilidade, têm o potencial de tornar esta nobre bolsa de couro numa ferramenta e companheira de vida de um artista.

Muito obrigado pela tua arte e talento ! Obrigado também à Patrícia Canastreiro pelas fotografias.

Author: Pedro Loureiro

I was born on the southwestern-most tip of Europe, in Lagos, Portugal. A childhood of legos and sandcastles led me to architecture school, but an adolescence of doodling drove me to sketching and later to illustration. I like to sketch, to travel and to chop vegetables into tiny manageable bits. I also like maps. The older the better!

Leave a Reply

Your email address will not be published.