Lisboa saloia

The agricultural area north of Lisboa is known as região saloia, a term that nowadays in commonly used to refer people in rural areas, but that has a very particular origin – çalayo was the moorish word for the tribute in bread that was exacted from the conquered Arabic population of the capital’s region, to be allowed to keep tilling their lands.

An old buddy of mine put together a barbecue to celebrate his newly acquired house in the hills of Arruda dos Vinhos, deep in the região saloia, an area rich in wine and other produce. He gathered people from five different countries at his table, all speaking with different shades of Portuguese accent. The smoky smell of the burning embers, the coolness of the breeze and the sounds of children playing outside led a peaceful afternoon into a glorious countryside sunset behind the valley. That was when the green and ochre across the landscape were tinted with shades of indigo and sienna, calling the day to an end.

A zona agrícola a norte de Lisboa é conhecida como região saloia, um termo que, hoje em dia é usado geralmente para designar pessoas de áreas rurais, mas que tem uma origem particular – çalayo era a palavra mourisca para o tributo pago em pão que era imposto às populações Árabes da região da capital, para que lhes fosse permitido continuar a arar as suas terras.

Um velho amigo organizou um churrasco para celebrar a sua nova casa nas colinas da Arruda dos Vinhos, na região saloia profunda, uma zona rica em vinho e outros produtos agrícolas. Juntaram-se à sua mesa pessoas de cinco países diferentes, todos a falar diferentes tons e sotaques de Português. O cheiro das brasas, a frescura da brisa e os sons da miudagem a brincar no exterior levou a tarde sossegada até um por-do-sol glorioso atrás do vale campestre. Foi nessa altura que o verde e ocre passaram a indigo e terra-de-siena anunciando o fim do dia.