Brave new watercolor world

When coloring my sketches, watercolors are my weapon of choice. Ever since a notorious sketching trip to Istanbul, I adopted watercolor as a portable and practical tool, that would quickly turn my usual black and white sketches into lively eye-candy onsite reportages.

Quando pinto os meus desenhos, a aguarela é a minha escolha de arma. Desde uma viagem de desenho a Istambul, adoptei a aguarela como uma ferramenta prática e portátil, que rapidamente tornava os meus pretos e brancos em reportagens gráficas vívidas e apetecíveis.

Lately, for professional reasons, as well as personal influences, I’m shifting more and more into the world of watercolor. That is, having both drawing and coloring play equal roles in the final result. So, the International Watercolor Festival jointly organized by AAPOR and IWS in Torres Vedras was a must visit, if only for one day! The festival featured an exhibition of works by international heavyweight artists like Amit Kapoor or Eleanor Hill, but also Portuguese masters like António Bártolo. There were also demos from the pros and art supplies kiosks.

Ultimamente, por razões profissionais e influências pessoais, estou cada vez mais a entrar no mundo da aguarela. Isto é, a ter o desenho e a cor a desempenhar papéis iguais no resultado final. Assim, o Festival Internacional de Aguarela, organizado em conjunto pela AAPOR e pela IWS em Torres Vedras era obrigatória, mesmo que só por um dia! O festival apresentava uma exposição de obras de pesos-pesados internacionais como Amit Kapoor ou Eleanor Hill, mas também mestres Portugueses como António Bártolo. Também havia demonstrações dos prós e quiosques com material de arte para testar e comprar.

In the late morning, Irina, the Winsor & Newton sales rep in the festival gave a few of us the chance to test, among other materials, a ridiculously thick paper (640g) we decided to dub “Pladur”, after the popular drywall Spanish brand. Its coarse grain is all but incredible to use, but the extra thickness is a feature that I’m still not ready to take advantage of.

Ao final da manhã, a Irina, representante da Winsor & Newton no festival, deu a alguns de nós a oportunidade de testar, entre outros materiais, um papel ridiculamente espesso (640g) que nós decidimos baptizar de “Pladur”, a partir da popular marca Espanhola de gesso cartonado. O grão grosso do papel era apenas incrível de usar, mas a espessura extra é uma característica que ainda não me sinto preparado para tirar partido.

Oeste Sketchers set a sketch meeting for the same day, so I was happy to have a crowd of fellow sketchers to relax, sketch, eat and drink beer with.

Os Oeste Sketchers marcaram encontro no mesmo dia. Foi bom ter companhia de malta do desenho com quem relaxar, desenhar, comer e beber cerveja.

Too hot for Rossio

Sometimes it’s just too hot to sketch outside… but that doesn’t seem to stop us.

Às vezes, está demasiado calor para desenhar na rua… mas isso não nos impede de o fazer na mesma.

Rossio hasn’t got many shades. Despite that, when Pedro Alves and I run out of ideas for places to sketch on lunchtime, we just wander mindlessly to the main square of Lisboa’s downtown and cope with the scorching sun.

O Rossio não tem muita sombra. Apesar disso, quando eu e o Pedro Alves ficamos sem ideias de sítios para ir desenhar na hora de almoço, acabamos por ir dar à principal praça da baixa Lisboeta, aguentar com o sol escaldante.

Tango in Lisboa

For nearly a week, a few hundreds of tango enthusiasts from all over the world stormed the glorious setting of the Voz do Operário great hall to attend the annual International Lisbon Tango Festival.

Durante praticamente uma semana, algumas centenas de entusiastas de tango de todo o mundo invadiram o cenário glorioso do grande salão da Voz do Operário, para participar no Festival Internacional de Tango de Lisboa.

During the day, maestros taught the less experienced in the art of the Argentinian dance. In the early evening, champagne bottles would pop-open to celebrate the mixed show of a Buenos Aires band and the singers and dancers that made the audience travel in time and space, across the Atlantic and beyond the equator, to 1930’s smoke-filled clubs of the city on the silver river.

Durante o dia, maestros ensinavam os menos experientes na arte da dança Argentina. Ao princípio da noite, garrafas de champanhe abriam-se ruidosamente em celebração dos espectáculos mistos de uma banda de Buenos Aires e os cantores e dancarinos que fizeram a plateia viajar no espaço e no tempo, através do Atlântico e para lá do equador, até à década de 30, e aos clubes fumarentos da cidade à beira do rio de prata.

Then, come midnight, all the tables would be removed. The gigantic clubhouse turned into a dancing hall for the all-night milonga that would last until the sunrise. Couples paired for the first dance and they rarely kept together, much like a fast-dating event. Partners experimented each other’s embrace, and looked for a match that would dance them the night away.

Depois, à meia-noite, todas as mesas eram retiradas. O enorme clube transformava-se num salão de dança para a milonga que durava até ao nascer do sol. Casais juntavam-se para a primeira dança e raramente continuavam juntos, um pouco como um  evento de fast-dating. Parceiros experimentavam o abraço de uns e outros, e procuravam quem lhes agradasse para dançar pela noite dentro.

As for us, sketchers, we sketched. Not as long as the dancers danced though, for the week had been long for all of us. Myself having the only reference in a single panel of Hugo Pratt’s graphic novel Tango, I tried to follow the master’s lead, as well as the maestros steps both onstage and in the dance hall.

Nós, os desenhadores, desenhávamos. Não durante tanto tempo como os dancarinos dançavam porém, porque a semana já ia longa para todos. Eu, tendo apenas como referência uma única prancha da banda desenhada Tango, de Hugo Pratt, tentei seguir o trilho do mestre, e os passos dos maestros tanto no palco como no salão.

10×10 Lisbon: Skyscrapers

In my second class as instructor in the Urban Sketchers 10 Years x 10 Classes programme in Lisboa, the challenge was to sketch far and below from a skyscraper. But conventional tall buildings are scarce in this capital city, and not very suitable places to sketch from, so I opted to lead the participants to one of Lisboa’s own alternative skyscrapers – the Nossa Senhora do Monte vantage point.

Na minha segundo experiência como instrutor do curso 10 Years x 10 Classes dos Urban Sketchers em Lisboa, o desafio era de desenhar longe e abaixo a partir de um arranha-céus. Mas edifícios altos convencionais são raros na capital, e não são locais adequados de onde se desenhar, portanto optei por orientar os participantes a partir de um dos arranha-céus invulgares de Lisboa – o miradouro da Nossa Senhora do Monte.

In all of the three exercises, the key skill to focus on was the simplification of the immense sea of detail that the vantage point offered us. First, we simplified horizontally, by translating all of the city’s skyline in a single continuous line, adding detail in but a few buildings that caught our attention, labeling them.

Em todos os exercícios, a chave era a simplificação do imenso mar de detalhe que o miradouro nos oferecia. Primeiro, simplificámos horizontalmente, traduzindo todo o skyline da cidade numa única linha contínua, acrescentando detalhe em apenas alguns edifícios que captavam a nossa atenção, e legendámo-los.

Then, we simplified vertically, finding a path between the roof just under our feet and a chosen destination in the skyline, tracing roofs, windows, facades and streets on the way. Anything that seemed suited to make our sketch progress upwards. On the way, we found a city feature and, exploring it a bit, we wrote a sentence or small paragraph about it.

Depois, simplificáos verticalmente, encontrando um trilho entre o telhado mais próximo dos nossos pés e um destino à escolha sobre o skyline, desenhando sobre telhados, janelas, fachadas e ruas no caminho. Qualquer coisa que fizesse o nosso desenho progredir para cima. No caminho, encontrámos um marco da cidade e, explorando-o um pouco, escrevemos uma frase ou um pequeno parágrafo sobre ele.

Finally, we simplified the relationship of people with the city. Outbursts of tourists in the vantage point oversimplify Lisboa – “there’s the place where we were”, “the bridge looks like the one in San Francisco”, “that’s where our hotel is”. Any of those simple sentences could generate a simple story. That story was to be written also in lines, from the person saying it to the place that was mentioned, again, roof to facade, window to street, along a continuous path, simplifying shapes and stories.

Finalmente, simplificámos a relação das pessoas com a cidade. Os dizeres dos turistas no miradouro simplificam Lisboa exageradamente – “ali está o sítio onde estavamos”, “a ponte parece a de São Francisco”, “é ali que é o nosso hotel!. Qualquer destas frases simples pode gerar uma história simples. Essa história teve de ser escrita também em linhas, partindo do desenho da pessoa que a diz até ao sítio que é mencionado, novamente, de telhado a fachada, de janela a rua, ao longo de um caminho contínuo, simplificando formas e histórias.

Indigo clouds against a burnt yellow sunset

As if trumpeting the summer, a scorching near-40-degree south wind from the Sahara swept through the country during the weekend, catching both natives and tourists off-guard. Shades, water fountains and public air conditioned buildings became highly-valued prizes.

The flash thunderstorm came as a surprise to the people in the annual book fair in Parque Eduardo VII. For a few minutes, thick drops of water replaced the baking heat while dark indigo clouds set against a strangely burnt yellow sunset. It was as if the dire palette was the prelude of the soon-to-arrive catastrophic news.

The thunderstorm also hit the center region of the country, igniting a major forest fire in Pedrógão Grande that cut roads, isolated villages and claimed 62 lives. It’s the biggest natural disaster in decades and but one of a total of 156 active fires in Portugal. The government decreed a three-day national mourning while the effects of the tragedy are being quenched and its victims and their families are relieved.

Como que a anunciar o verão, um vento escaldante do Sahara de quase 40 graus varreu o país durante o fim-de-semana, apanhando desprevenidos nativos e turistas. Sombras, repuxos e edifícios públicos com ar condicionado tornaram-se bens preciosos.

A trovoada fulminante surpreendeu os visitantes da Feira do Livro no Parque Eduardo VII. Durante alguns minutos, gordas gotas de chuva substituiram o forno a céu aberto enquanto que nuvens escuras de tom indigo se situaram contra um pôr-do-sol de um amarelo estranhamente queimado. Era como se a paleta lúgubre fosse o prelúdio das notícias catastróficas que estavam para chegar.

A trovoada também atingiu o centro do país, acendendo um fogo florestal em Pedrógão Grande, que cortou estradas, isolou aldeias e ceifou 62 vidas. É o maior desastre natural em décadas e apenas um de 156 incêndios activos em Portugal. O governo declarou um luto de três dias enquanto se mitigam os efeitos da tragédia e se cuidam das vítimas e das suas famílias.