Chafariz do Largo do Carmo

160815-carmo

When Roque Gameiro first arrived in Lisboa, from his native Minde, he found that the cityscape was changing dramatically, as new industries and technologies tore apart the canvas of an ancient and picturesque city with which he indentified best. Such changes stirred in Gameiro the will to record the sights, the atmosphere and the people of the old town of Lisboa. He went on to produce over a hundred illustrations and watercolors from the spots he found best conveyed the idea and the spirit of Lisboa.

(to be continued)

Quando Roque Gameiro primeiro chegou a Lisboa, desde a sua Minde natal, encontrou uma paisagem urbana em mudanças drásticas. Novas indústrias e novas tecnologias rasgavam a tela de uma cidade antiga e pitoresca com a qual ele mais se identificava. Tais mudanças atiçaram em Roque Gameiro a vontade de registar as vistas, o ambiente e as pessoas da velha Lisboa. Assim, ele arrancou com o projecto de produzir mais de uma centena de gravuras e aguarelas dos locais que ele achou que mais transmitiam a ideia e o espírito de Lisboa.

(continua)

Chafariz do Largo do Carmo by / por Roque Gameiro

Arco Escuro

160715-alfama

It’s been a few months since Pedro Cabral first challenged the Portuguese Urban Sketchers to sketch in the footsteps of Alfredo Roque Gameiro, the talented turn of the 20th century watercolorist. The challenge, going until the end of November, is to interpret the artist’s visions of the old town of Lisboa as they look nowadays.

(to be continued)

Já passaram alguns meses desde que o Pedro Cabral primeiro lançou o desafio aos Urban Sketchers Portugueses de desenhar no trilho de Alfredo Roque Gameiro, o talentoso aguarelista do virar do século XX. O desafio, válido até ao final de Novembro é de interpretar as imagens do artista da Lisboa velha, como elas estão hoje em dia.

(continua)

Arco Escuro by / por Roque Gameiro

 

Inma & Miguel

The Spanish Dynamic Duo – Inma Serrano and Miguel Herranz – brought a sketching workshop to Lisboa based on the kind of work they do when they’re together. Although Inma is from Sevilla and Miguel from Barcelona, they do a lot of sketching together, and they’re quite a good team!

O duo dinâmico Espanhol – Inma Serrano e Miguel Herranz – trouxeram a Lisboa uma oficina de desenho baseada no trabalho que fazem quando estão juntos. Apesar da Inma ser de Sevilha e do Miguel ser de Barcelona, eles desenham muitas vezes juntos, e fazem uma boa equipa!

161029-amoreiras-01

They started out by showcasing their different approaches to the same subjects. Miguel frames his subjects as if he was telling a story through comics. Inma lets her colors and her expressiveness tell their own stories of the place. Check their work here and here!

Começaram por mostrar as abordagens diferentes que têm sobre os mesmos objectos de desenho. O Miguel emoldura os seus desenhos com rectângulos, como se contasse uma história de banda desenhada. A Inma deixa que as suas cores intensas e a sua expressividade contem as suas próprias histórias sobre os locais que visita. Vejam os seus trabalhos aqui e aqui.

The challenge they had for us was to tell different stories of the same subject by framing them differently. Simple as that, and damn effective! Stories started to pop out of the sketches as easy as they had waltzed on the pages.

O desafio que nos traziam foi o de contar diferentes histórias sobre o mesmo objecto enquadrando-os de formas diferentes. Tão simples como isso, e eficaz à brava! As histórias saltavam dos desenhos tão facilmente como estes entravam nas páginas.

161029-amoreiras-02

After the work, everybody got to mingle in a nearby restaurant. Opportunity for a roundhouse sketching.

Depois dos trabalhos, toda a gente confraternizou num restaurante próximo. Oportunidade para um desenho à volta da mesa.

Amadora BD ’16

The main comic book festival in Portugal happens yearly in the capital’s suburb of Amadora.  Although it is constantly under the risk of being culturally overwhelmed by Lisboa, and lying just northwest of the city, Amadora prides itself of being an autonomous cultural hub in the Metropolitan Area, and the comic book festival is a long-standing venue in the town, showcasing authors, exhibitions and works both domestic and foreign for 26 years now.

O principal festival de banda desenhada em Portugal acontece anualmente na Amadora. Apesar de estar sob risco constante de ser culturalmente dominada por Lisboa, e apenas a um pulo a noroeste do centro da cidade, a Amadora orgulha-se de ser um forte pólo cultural autónomo na Área Metropolitana, e o festival de BD é um certame de longa história, mostrando autores, exposições e obras de banda desenhada tanto nacionais como estrangeiras há já 26 anos.

161029-amadora

While stockpiling there on comics for the coming winter, I bought Vampiros, a graphic novel about a Colonial War commando dealing with their own terrors on an undercover mission to Senegal. It was ilustrated by Juan Cavia and written by Filipe Melo and, by chance, the latter was in the venue signing books. Being the talkative type, the queue went for ages, as he gave all his fans equal attention. But it was worth it, because while Filipe sketched his elaborate autograph in the black endpaper, I got to sketch him, daydreaming about his own characters in the jungle. Great exchange!

Enquanto açambarcava BD para o inverno vindouro, comprei o Vampiros, uma novela gráfica sobre os soldados de um comando da Guerra do Ultramar lidando com os seus próprios terrores numa missão clandestina ao Senegal. Foi desenhada pelo Juan Cavia e escrita pelo Filipe Melo, que, por sorte, estava lá a autografar livros. Sendo do tipo que gosta de conversar, a fila demorou, já que ele deu igual atenção a todos os seus fãs. Mas valeu a pena, porque enquanto o Filipe desenhava o seu elaborado autógrafo na folha de forro preta, eu pude desenhá-lo a sonhar acordado com as suas próprias personagens na selva. Boa troca!